sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

A PACIÊNCIA

Transcrição de uma palestra que fiz na Associação Espírita Humberto de Campos.

Canoas, 12 de dezembro de 2017

TEMPO: 15 minutos

FONTE:

- Evangelho Segundo o Espiritismo, capítulo IX – Bem Aventurados aqueles que são Brandos e Pacíficos. Item 7: “A PACIÊNCIA” (KARDEC, Allan.1864).


Boa noite a todos. Que a paz do Cristo se faça presente.

Bem, meus amigos, hoje o tema de nosso estudo é a Paciência, contido no Evangelho Segundo o Espiritismo, capítulo IX – Bem Aventurados aqueles que são Brandos e Pacíficos, o foco será o item 7 "A Paciência", trago para quem quiser estudar mais depois.

Confesso que é um tema difícil para mim, que sou filho de italianos. Em casa brincamos que é todo mundo nervoso. Aceitei, obviamente, de coração aberto a missão deste estudo porque é algo que também preciso aprender bastante.

Para nós entendermos a mensagem contida nas Bem-Aventuranças, precisamos entender primeiro, o que são. Vamos fazer uma pequena digressão...

É importante lembrarmos que a maioria das religiões, se não todas, em diferentes regiões ao redor do mundo, sempre nos trouxeram a ideia de vivermos num paraíso depois da morte. Um lugar onde não passaremos por mais nenhuma dificuldade, um lugar sem sofrimentos. Só Felicidade!

Jesus Cristo é diferente de todos os profetas que vieram antes ou depois dele, porque ele nos trouxe em seu Evangelho o código de conduta para construirmos o reino dos céus aqui na Terra e encontrarmos a felicidade ainda aqui no plano físico. Assim, em nossa existência imortal, chegaremos num dia que não será mais doloroso reencarnarmos, porque este mundo físico será tão maravilhoso quanto a nossa pátria espiritual.

E esse é um compromisso que você deve assumir. Cada um de vocês. E eu falo vocês para entendermos a responsabilidade que temos. Quando alguém fala “depende de nós”, sempre tem alguém que pensa: “nós” deve ser ele, mais outro... eu vou ficar na minha, esperando o parque de diversões abrir. Só que o convite de Jesus é que para "andar no brinquedo, você tem que construir o brinquedo".

Jesus nos ensina essa “maneira de viver”, esse "código de conduta" muito através de suas parábolas e dos exemplos de sua passagem aqui na Terra, porém há uma parte que ele nos ensina de maneira ainda mais direta: no episódio do sermão da montanha, quando são citadas as bem-aventuranças.

No evangelho do apóstolo Matheus, cap. V, v. 4, Jesus diz: “Bem Aventurados aqueles que são Brandos, porque eles possuirão a Terra”. E ainda no versículo 9: “Bem-aventurados os pacíficos, porque eles serão chamados filhos de Deus”. O Evangelho Segundo o Espiritismo vem nos mostrar que para construir o reino dos céus na Terra e nos enxergarmos como irmãos, devemos ser brandos e pacíficos. Ser brando é ser calmo. Ser Pacífico é não se envolver com nenhum tipo de violência. Ser brando e pacífico, meus amigos, é o maior exercício de humildade que faremos. É sermos resignados. Relevar as ofensas e abraçar os desafios da vida.

Neste capítulo do Evangelho Segundo o Espiritismo, o item 7 fala sobre a Paciência, como uma ferramenta para nos tornarmos brandos e pacíficos. Nesta parte, "Um Espírito Amigo" (como assina a mensagem) nos explica que as dores que vivenciamos no corpo físico são, na verdade, uma benção. E que, portanto, devemos ser gratos pelo sofrimento, porque ele nos deixa mais fortes e mais espertos.

Todos nós aqui, quando criança, provavelmente queimamos os dedos no fogo ou numa chapa quente quando não havia adultos por perto... e o que fizemos? Entramos em desespero? Choramos.... Talvez, mas não ficamos estancados no tempo se lamentando... Pelo contrário, aprendemos a não fazer mais aquilo. É uma lição que nunca mais esquecemos. Também nos deixou preparados para saber qual é a sensação, para estarmos mais fortalecidos para o caso de um dia precisarmos passar por aquilo novamente.

Nesse ponto, podemos lembrar também que temos relatos de muitas pessoas que tiveram alguma doença avassaladora, como um câncer, por exemplo, e o venceram ou ainda lutam, mas que são muito gratas. Pessoas que consideram que ter tido o câncer foi a melhor coisa que aconteceu com elas, porque as fez elas refletirem sobre a vida que levavam e mudarem seus hábitos, suas companhias. Mesmo com o corpo físico perecendo, elas encontraram um pouco de felicidade.

Por outro lado, como é a situação quando nós nos envolvemos com o sofrimento dos outros? E como é quando, muitas vezes, assumimos esse sofrimento também como nosso? E quando passa a ser nossa responsabilidade cuidar daquela pessoa que está passando por algum problema de doença física, mental ou emocional? Ah! É quando mais precisamos exercitar nossa paciência, pois é quando mostramos nossa verdadeira natureza...

Quantas vezes vemos no noticiário, cuidadores, babás, pessoas que assumem o compromisso de cuidar dos outros, batendo em idosos, crianças, judiando dos animais? A maioria, se não todas, se consideram pessoas boas, mas perdem a paciência com o sofrimento alheio. Chegam a dizer que ou outro “me tirou dos sério”... A paciência é também um ato sempre de caridade, pois estamos abdicando do nosso conforto para cuidar dos outros.

No Evangelho, este Espírito Amigo traz uma reflexão simples, mas profunda que para mim é uma das passagens mais bonitas: “A vida é difícil, eu o sei; ela se compõe de mil nadas que são picadas de alfinetes que acabam por ferir, mas é preciso ver os deveres que nos são impostos, as consolações e as compensações que temos por outro lado e, então, veremos que as bençãos são muito mais numerosas do que as dores. O fardo parece menos pesado quando se olha para o alto do que quando se curva a fronte para o chão”.

Todos passamos dificuldades da vida, mas precisamos entender o que estamos fazendo aqui, vivos. Entender o nosso papel na criação?

Aí alguém pode se questionar: Como posso ver a felicidade em meio a tantas coisas ruins? Admito que na maioria das vezes também tenho essa dificuldade, mas aprendo a cada dia estudando os ensinamentos Jesus e do Espiritismo que temos que olhar as coisas de uma maneira mais ampla. Entender que nossa vida é muito mais do que só esta existência.

Se subirmos numa montanha que possibilite ver toda a nossa existência e olhar o caminho que percorremos, vamos ver as pedras que removemos, os oceanos que cruzamos e as montanhas que transpomos... e veremos que as conquistas são muito mais significativas que as dificuldades que passamos, porque o sofrimento é temporário e cai no esquecimento.

Quem fez o Enem ou os filhos, sobrinhos, netos fizeram? A pessoa que está estudando com afinco para o Vestibular, em um determinado momento quer desistir, sente que não vale a pena aquele esforço... ter que abdicar de sair com amigos, namorar, jogar bola, parece sem sentido... Aí a pessoa passa, faz uma grande festa, entra para a Faculdade e vem outras dificuldades... Muitas vezes ter que conciliar faculdade, família e trabalho. E quando acha que nada pode piorar, o sujeito ainda tem que fazer o TCC (Trabalho de Conclusão de Curso). Após se formar na faculdade, a felicidade é tamanha daquela conquista que a criatura nem lembra do sofrimento de passar no vestibular. Então, Paciência, tudo se resolve.

Jesus, por seus exemplos, sempre mostrou às pessoas que tivessem paciência para entender o que estava acontecendo... ao ajudar o próximo, a curar os doentes, no seus julgamento, no calvário e até no topo da cruz. No episódio da morte de Lázaro, quando ele diz (e vou parafrasear) "Ao mortos o problema de cuidar dos mortos", significa para ter calma e paciência que as coisas se resolverão, mesmo com o corpo físico intacto ou não. Também durante sua crucificação, ainda teve oportunidade de mostrar ao ladrão crucificado ao seu lado para ter paciência que, se ele estava arrependido de seus crimes, ele teria oportunidade de reparar e, um dia, se encontrar com ele no reino dos céus.

A nossa vida é muito maior que somente essa existência, muito mais que o emprego, que as dores que vivenciamos. Somente sendo brandos e pacíficos conseguiremos enxergar isso. É isso que Jesus quer nos ensinar.


Para concluir, vou trazer uma metáfora... Entendamos que vamos colocar um quadro na parede. Para isso, eu preciso de um prego na parede. Mas para cravar o prego, eu preciso de um martelo. Façamos a analogia de que para emoldurarmos o Reino dos Céus em nossas vidas, precisamos cravar em nosso coração a Brandura, a Calma, a Resignação e nos tornarmos Pacíficos. A ferramenta para “martelar” todos os dias em nossas vidas é a Paciência.

Paciência não é ignorar tudo e ficar "Zen". Paciência é um esforço mental e emocional.

Que fique para nossa reflexão. Obrigado pela atenção.

Paz a todos e uma boa noite!

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Dona Isaura - Have You Ever Seen The Rain (ao vivo)


Formada em 2014, a banda Dona Isaura é formada por Andressa Dreher (voz, violão, percursão), Gerson Colombo (Voz, contra-baixo) e João Colombo (voz, guitarra, percursão). O nome da Banda homenageia a senhora Isaura, uma amiga famosa por organizar e animar chás beneficentes em Canoas, onde a Banda se apresentou pela primeira vez, no dia 18 de maio de 2014. A “Banda da Hora do Chá” possui repertório variado bem voltado pro rock n’ roll.

Have You Ever Seen The Rain, da banda americana Creedence Clearwater Revival, é parte do repertório desde o início da banda. Este clipe foi gravado no show exclusivo para amigos da banda, num bar tosco, mas tradicional no Centro de Canoas (antigo Mr Pub).

Para contatar a banda, envie email para bandadonaisaura@gmail.com.


sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Bachman-Turner Overdrive: Takin' Care of Business (Tomando Conta Dos Negócios)

Leia a letra. É tão... atual.


Tomando Conta Dos Negócios

Você se levanta todas as manhãs
Com o alerta do despertador
Pega às 8:15 para a cidade
Há um apito no céu
E as pessoas empurrando, pessoas se atropelando
E as meninas que tentam ficar bonita
E se o seu trem for pontual
Você pode começar a trabalhar às nove
E começar o seu trabalho escravizado para receber o pagamento
Se você sempre se irrita
Olhe para mim eu sou autônomo
Eu amo trabalhar em nada o dia todo
E eu estarei ...
Cuidando dos negócios a cada dia
Cuidando dos negócios de todo jeito
Estarei cuidando dos negócios, é todo meu
Cuidando dos negócios e fazendo horas extras
Trabalho para fora
Se fosse fácil como pescar
Você poderia ser um músico
Se você pudesse fazer sons fortes ou suaves
Obter uma guitarra de segunda mão
Provavelmente, você iria longe
Se você se juntar a um bando de caras certos
As pessoas veem você se divertindo
Apenas deitado ao sol
Diga-lhes que você gosta assim
É o trabalho que nós evitamos
E nós somos todos autônomos
Gostamos de trabalhar em nada o dia todo
E estaremos ...
Cuidando dos negócios a cada dia
Cuidando dos negócios todos os sentidos
Estarei cuidando dos negócios, é tudo meu
Cuidando dos negócios e trabalhando horas extras
Cuide bem do meu negócio
Quando estou longe, todos os dias oh!
Você se levanta todas as manhãs
Com o alerta do despertador
Pega às 8:15 para a cidade
Há um apito no céu
E as pessoas empurrando, pessoas se atropelando
E as meninas que tentam ficar bonita
E se o seu trem for pontual
Você pode começar a trabalhar às nove
E começar o seu trabalho escravizado para receber o pagamento
Se você sempre se irrita
Olhe para mim eu sou autônomo
Eu amo trabalhar em nada o dia todo
E eu estarei ...
Cuidando dos negócios a cada dia
Cuidando dos negócios todos os sentidos
Eu estarei cuidando dos negócios, é tudo meu
Cuidando dos negócios e trabalhando horas extras
Tomando conta dos negócios
Tomando conta dos negócios
Tomando conta dos negócios
Tomando conta dos negócios
Tomando conta dos negócios
Takin' Care of Business 

You get up every morning
From your alarm clock's warning
Take the 8:15 into the city
There's a whistle up above
And people pushin', people shovin'
And the girls who try to look pretty
And if your train's on time
You can get to work by nine
And start your slaving job to get your pay
If you ever get annoyed
Look at me I'm self-employed
I love to work at nothing all day
And I'll be...
Taking care of business every day
Taking care of business every way
I've been taking care of business, it's all mine
Taking care of business and working overtime
Work out
If it were easy as fishin'
You could be a musician
If you could make sounds loud or mellow
Get a second-hand guitar
Chances are you'll go far
If you get in with the right bunch of fellows
People see you having fun
Just a-lying in the sun
Tell them that you like it this way
It's the work that we avoid
And we're all self-employed
We love to work at nothing all day
And we be...
Taking care of business every day
Taking care of business every way
I've been taking care of business, it's all mine
Taking care of business and working overtime
Take good care of my business
When I'm away, every day whoo!
You get up every morning
From your alarm clock's warning
Take the 8:15 into the city
There's a whistle up above
And people pushin', people shovin'
And the girls who try to look pretty
And if your train's on time
You can get to work by nine
And start your slaving job to get your pay
If you ever get annoyed
Look at me I'm self-employed
I love to work at nothing all day
And I'll be...
Taking care of business every day
Taking care of business every way
I've been taking care of business, it's all mine
Taking care of business and working overtime
Takin' care of business
Takin' care of business
Takin' care of business
Takin' care of business
Takin' care of business

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

HOMEM DE PRETO

Hoje um colega me perguntou: "Por que você está de preto? Estava em um velório"?
Imediatamente lembrei da música "Homem de Preto", de Johnny Cash... uma letra sensível que mostra o quanto somos responsáveis uns pelos outros e que, se a felicidade não é deste mundo, é porque não há motivos para sermos plenamente felizes enquanto tivermos tantos irmãos em sofrimento. Escute a música e leia, ao menos, a tradução abaixo, para entender o que estou dizendo.


Bom, você imagina por que sempre me visto de preto,
Por que nunca vê cores brilhantes nas minhas costas,
E por que minha aparência parece ter um tom sombrio.
Bom, existe uma razão para as coisas que eu visto...

Eu visto o preto pelo pobre e oprimido,
Vivendo no lado faminto e sem esperança da cidade,
Eu o visto pelo preso que há muito tempo já pagou pelo seu crime,
Mas está lá porque ele é uma vítima dos tempos.

Eu visto o preto por aqueles que nunca leram,
Ou escutaram as palavras que Jesus pronunciou,
Sobre a estrada para a felicidade através do amor e da caridade,
Por que você pensaria que Ele está falando diretamente para você e eu?

Bom, nós estamos indo muito bem, eu suponho,
Na nossa fileira de carros reluzentes e roupas da moda,
Mas, então, somos lembrados daqueles que são excluídos,
Na frente, tem que existir um homem de preto.

Eu visto isto pelo velho doente e solitário.
Pelos descuidados, que se tornaram frios
por causa de uma péssima experiência
Eu visto preto em luto pelas vidas que poderiam existir,
A cada semana perdemos cem bons homens jovens

E, eu visto isto pelos milhares que morreram,
Acreditando que o Senhor estava do lado deles,
Eu visto pelos outros milhares que morreram,
Acreditando que todos nós estávamos do lado deles.

Bom, existem coisas que nunca serão certas, eu sei,
E coisas que precisam de mudanças em qualquer lugar que você vá,
Mas, até nós começarmos a nos mexer para endireitarmos algumas coisas,
Você nunca me verá usando um terno branco.

Ah, eu adoraria vestir um arco-íris todos os dias,
E dizer para o mundo que tudo está OK,
Mas tentarei retirar um pouco da escuridão das minhas costas.
Até as coisas serem brilhantes, eu sou o Homem de Preto.

- Johnny Cash


terça-feira, 30 de outubro de 2012

Fora da Caridade Não Há Salvação

"Certa vez, um homem vigoroso e bem arrumado andava por uma rua de pedras quando um senhor, já de certa idade, descalço, vinha no caminho contrário e lhe pediu sapatos. O senhor idoso lhe explicou que sentia muita dor nos pés por andar naquela estrada pedregosa. O homem lhe desejou boa sorte, ignorando seu pedido e seguiu seu caminho.

"Outro homem passava pelo mesmo caminho e para este também pediu sapatos. Este homem fitou para os pés machucados daquele senhor, apiedou-se e pediu para ele esperar. Voltou em seguida com um par de sapatos velhos e disse: - tome, estes não me fazem falta. E seguiu seu caminho.

"O velho colocou os sapatos, contente porque não sentiria mais dor. No seu trajeto, porém, viu um homem até mais jovem, mas descalço. Antes que o rapaz tivesse qualquer reação, ele lhe disse: Jovem, toma estes sapatos, o teu caminho é mais longo e vais precisar mais do que eu."

Ser amigável, é repartir o que você tem ou dar algo que não lhe fará falta para alguém que você gosta.
Ser solidário é distribuir o que você tem sobrando com alguém desconhecido.
Ser caridoso é dar de você, o que pode lhe fazer falta para alguém que precise mais e pudesse até lhe fazer algum mal.

Na parábola acima, o primeiro homem foi apenas amável, desejando-lhe sorte, o segundo foi solidário. Mas caridoso, foi somente o velho, pois ele já havia tido a experiência da dor e desejou a um desconhecido (que poderia até lhe tentar roubar os sapatos) que não passasse pela mesma situação.

Amar nossos amigos é fácil. O mérito está em ser melhor para os nossos inimigos. É fora da Caridade que não há salvação. A frase do Cristo ensina que não basta não fazer o mal. Para evoluir moralmente é preciso, ainda, buscar fazer o bem.

Pensemos nisso.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Relacionamento é Produto

Ora, pois digo que o relacionamento amoroso é como um produto: Depende de pessoas para existir, de trocas de interesses e deve satisfazer anseios de ambas as partes.

Mas amor não é produto que se vende. É aquilo que se constrói a dois para ser usado pelos mesmos.

E o status não é só rótulo, é condição de uso:
Ficar é descartável - usa hoje, amanhã já não presta.
Namoro é retornável - depois de consumir, volta pro mercado.
Casamento é reciclável - está sempre se reinventando.

Seja sustentável em seus relacionamentos:
Seja econômico - não faça dívidas por amor e não faça o outro gastar demais.
Seja sociável - sim, com os amigos e a família da outra pessoa.
Cuide do seu meio-ambiente - é manter a casa arrumada mesmo!

Você quer que o seu bem seja durável ou trata suas relações apenas como serviços?


segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Simplesmente Guarda-Chuvas

Esses dias, eu estava indo para o trabalho e o tempo estava maravilhoso. Temperatura amena e o céu aberto, límpido, sem nenhuma nuvem. No fim do dia, os deuses se enraiveceram com alguma coisa e o tempo fechou subitamente, despencando uma 'bela' chuva. Obviamente, eu estava sem guarda-chuva.

Solitário e encharcado, andando pelas ruas de Porto Alegre, comecei a refletir sobre a relação do homem com os guarda-chuvas e todas as suas variações (guarda-sol, sombrinhas, etc...) Lembremo-nos de seu conceito: 'é um objeto usado para proteção contra sol e chuvas que consiste em um aramado suportado por uma haste, que sustenta uma tela feita geralmente de material plástico' (Wikipedia). É impressionante como algo tão casual tenha se desenvolvido tão pouco. Segundo a história, eles surgiram na Mesopotâmia há 3400 anos e continuam sendo feitos seguindo ainda a mesma técnica... apenas a matéria prima foi alterada.

Dentre diversas possibilidades, sempre tentei imaginar o que mais um guarda-chuva poderia fazer. Pesquisei na rede e encontrei algumas opções interessante, além de alguns clássicos.

O clássico "guarda-chuvinha" para efeitar drinks. Só serve mesmo pelo palito para espetar a azeitona ou cereja no fundo do copo.

Um dos meus favoritos: a base em forma de soqueira. Muito útil para aqueles engraçadinhos que ficam te batendo com o guarda-chuva aberto na multidão ou para evitar um assalto.

Voltando para casa, almejo segurança, então sempre pensei usá-lo com um porrete. Se fosse como uma espada, seria ainda melhor.

O item conforto é imprescindível. Quem sai de casa com guarda-chuva, normalmente sai carregando outras coisas... eu costumo usar mochila e isso é sempre um problema, pois ela acaba molhando nas costas... esse modelo seria ideal!

Uma proposta relevante. A imagem fala por si, o sujeito fica bem protegido, como se fosse uma cabine ambulante.

Você deve estar pensando "ah que legal, tem uma luzinha ali e parece um sabre-de-luz". Mas engana-se. A luz na ponta só acende quando vai chover... Se fosse na Terra-Média, ela avisaria a presença de orcs... afff.




Ok, eco-chatos, também pensei em vocês que acham um absurdo a forma como é feito um gurda-chuva e blá blá blá... Esse exemplar é bem prático: você o leva onde quiser e, se chover, basta arranjar uma folha de jornal e prender com as hastes.

Bem, esse fala por si. Convenhamos, é muito chato quando você está tranquilinho jogando golfe e começa a chover. Problem solved!

Esse modelo se preocupa mais em proteger a roupa do que o corpo todo. Sim, bizarro, mas é coisa de japa e isso sempre deve ser levado em consideração. O curioso é o nome, associado a 'discos voadores' (UFO..).


Melhor item para defesa, a espigarda-guarda-chuva também é bem útil para quem pratica tiro-ao-alvo fora de casa e acaba se molhando. 

Esse modelo com o cabo em forma de algema pode servir muito bem para pegar em flagrante esse gatunos especializados em roubar guarda-chuvas... Para mim, é ideal para não perdê-los mesmo.

Esse modelo foi desenvolvido para áreas de risco de guerra. Perfeito para chuva de bala perdida. Se você mora no Rio de Janeiro ou na Faixa de Gaza, encomende já o seu!


Ok, bastaria fazr um guarda-chuva transparente para ninguém ficar se batendo no tumulto, mas esse modelo é mais divertido, principalmente por se associar a uma máscara de mergulhador com o snorkel na ponta.

No filme O Cavaleiro das Trevas Ressurge, Batman diz que qualquer um pode ser um herói. Se você sofre desse complexo de heroismo, mas não tem grana para fazer sua armadura, proteja-se pelo menos da chuva de uma maneira, digamos, inusitada.

Sair de casa com um guarda-chuva numa mão e a pasta na outra é um impecílio para quem quer tomar um café. Esse modelo pode ajudar, mas não me parece anatomicamente perfeito para isso...

Chovendo pacas e alguém está te enchendo o saco na fila do busão? Está com raiva de Zeus por causa da chuva? Não curtiu o meu post? Esse modelo responde muito bem às essas e outras perguntas... Fuck Off!


Sugiro ler